Hidrogeologia

O aproveitamento da água subterrânea é uma alternativa cada vez mais frequente nos processos produtivos dos empreendimentos, exigindo esforços para a caracterização, quantificação e gestão dos aquíferos. A Carste oferece assessoria estratégica com a elaboração de estudos de caracterização hidrogeológica, monitoramento ambiental e modelagem de sistemas aquíferos. Para o estudo da origem e da evolução das águas subterrâneas, a empresa utiliza métodos e ferramentas tecnológicas, como sensoriamento remoto, modelagem de sistemas multidimensionais de fluxo e de transporte, caracterização isotópica e testes para determinação de parâmetros hidráulicos e ensaios com traçadores. Além disso, possui expertise em planejamento e execução de monitoramentos hidrogeológicos.

SERVIÇOS DE HIDROGEOLOGIA

Mapeamento e caracterização dos aquíferos

Envolve o levantamento das formações geológicas e suas características hidrogeológicas. Ao final, tem-se um modelo hidrogeológico conceitual da área de interesse que permite o reconhecimento e a interpretação dos sistemas subterrâneos de modo a servir de base para qualquer estudo ambiental posterior.

Gestão de recursos hídricos Superficiais e subterrâneos

Visa adotar estratégias para a gestão integrada dos recursos superficiais e subterrâneos condicionados às demandas dos diversos usuários e ao uso sustentável.

Estudos de conexões hidráulicas usando traçadores

Os ensaios com traçadores contribuem para a definição de direções de fluxos subterrâneos, sobretudo em ambientes cársticos e fraturados, permitindo o melhor conhecimento da dinâmica do aquífero.

Hidrogeoquímica e caracterização isotópica

A partir da caracterização e da evolução da composição química da água subterrânea e superficial é possível estabelecer hipóteses sobre o funcionamento dos aquíferos e identificar a qualidade das águas para atendimento aos distintos usos, segundo os valores de referência estabelecidos na legislação (como a CONAMA n° 357). As coletas das amostras em campo seguem o padrão de qualidade da NORMA ABNT NBR ISO/IEC 17025:2017.

Modelagem numérica dos aquíferos e determinação de áreas de inundação de rios

A modelagem numérica é uma ferramenta computacional utilizada para representar o modelo hidrogeológico conceitual. A partir disso, pode-se prever a evolução do sistema e simular cenários de intervenções. A dinâmica fluvial de rios também pode ser interpretada a partir da modelagem de cheias, considerando dados históricos e atuais de pluviometria e fluviometria.

Processos de outorga para águas subterrâneas e superficiais

São estudos necessários para solicitar o direito ao uso de águas subterrâneas e superficiais e imprescindíveis qualquer intervenção do regime natural, bem como para alterações da quantidade ou da qualidade dos corpos d’água. Os estudos abrangem cálculo de vazão máxima e mínima, transporte de sedimentos, condições de enchimento e assoreamento e variam conforme o órgão estadual vigente.

Avaliação de impacto ambiental aos recursos hídricos

A avaliação de impactos ambientais aos recursos hídricos considera as atividades dos empreendimentos em suas diversas etapas. A realização de um diagnóstico ambiental é fundamental para o reconhecimento dos recursos quantitativos e qualitativos da área e para a indicação dos aspectos ambientais inerentes a cada atividade do empreendimento. 

Planejamento, realização e interpretação de ensaios hidráulicos de aquíferos e poços

Os ensaios de bombeamento são fundamentais para a caracterização hidrodinâmica dos sistemas aquíferos. Em estudos ambientais, é um importante instrumento para compartimentar as unidades aquíferas. Os ensaios hidráulicos são utilizados para a determinação de sua eficiência e a estimativa das perdas de cargas existentes em poços de bombeamento, e auxiliam na determinação dos parâmetros intrínsecos dos aquíferos em poços de monitoramento.

Planejamento de redes de monitoramento e alocação de poços e piezômetros

O planejamento de redes de monitoramento prevê a indicação para a instalação de diversos instrumentos, como poços artesianos, piezômetros, vertedouros e pluviógrafos. Para a locação de poços tubulares, utiliza-se o levantamento de feições geológicas, de modo a determinar os locais de instalação com melhor produtividade, recorrendo a métodos geofísicos quando necessário.


Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0